“Meus pequenos monstros eu vou vos mostrar o que é um verdadeiro espetáculo”

A Nova Rainha do Pop levou o Meo Arena ao rubro com palavras “cativantes e inspiradoras”, espetáculo “estupendo”, voz “incrível” e “muito estilo”, tornando uma simples noite chuvosa numa das noites mais “deslumbrantes” de Lisboa.

asdfghjkl

 

Apesar de o tempo não ter sido agradável, não fez com que os fãs de Lady Gaga ficassem em casa. “A chuva não nos impede de nada, muito menos de ir ver um dos melhores concertos do ano”, mencionou um fã.

Um dos concertos mais esperados do ano realizou-se na passada noite de segunda-feira, 10 de Novembro, tendo sido considerado pela promotora Ritmos & Blues “a maior produção apresentada naquela sala de espetáculos”. Com a plateia praticamente cheia (aproximadamente 80%) os fãs gritavam: “Wooow, Gaga, Gaga, Gaga”. Todos ansiavam pelo início do concerto mas este não começou logo com a “rainha da noite”. Muitos fãs deslocaram-se de prepósito de várias zonas do mundo e do país para verem o concerto de Lady Gaga, por exemplo dos E.U.A, Espanha e Alemanha. Os fãs referiram que vieram na expectativa de ver um grande espetáculo. No público encontrava-se pessoas de todas as idades, desde jovens, adultos e idosos, mais maioritariamente jovens entre os 10 e 18 anos. Muitos deles ‘interiorizaram’ o verdadeiro estilo de Gaga, pois estavam devidamente maquilhados e com vestuário “louco”.

Pelas 19.45 horas entrou em palco um artista masculino e começou a cantar músicas da sua autoria. De seguida entrou em palco uma DJ, ‘guiando’ todos para um estilo mais eletrónico. Após a sua atuação mais ninguém veio ao palco. Os fãs já desesperavam, assobiavam e gritavam, pois a ansiedade e o entusiasmo estavam em alta.

De repente o pano caiu, as luzes desligaram-se e o público fica eufórico.
Cerca de 14 bailarinos e uma banda de cinco músicos entraram em palco e começaram a dançar e a fazer música. Após uns minutos, Lady Gaga, com grandes asas, surge em palco através de uma plataforma que sobe e grita “Portugal” e aí o espetáculo tão esperado há horas começou. A cantora começou logo por cantar uma música do álbum “Art Pop Ball”.

lzdfhdjg

Ao longo do concerto Lady Gaga com as suas palavras “cativantes e inspiradoras” mencionava a sua preocupação com os fãs, racismo, igualdade de direitos, amor e todos os vários aspetos que a humanidade se depara todos os dias. “Temos todos as mesmas ideias sobre o amor e o que temos é único”, afirmou Gaga.

A nova rainha do Pop sublinhou que o verdadeiro espetáculo não é o que ela faz em palco mas sim aquele que está fora do palco, o público. Comentou que um dia quando ela morrer os fãs vão dizer “ela era especial” mas Lady Gaga disse que nessa altura devem dizer que os fãs eram ainda mais especiais”. Estas palavras faziam correr lágrimas nos rostos dos fãs.

A “Mother Monster” não só cantou músicas do álbum em tour mas sim todas as outras músicas que marcaram a carreira de Gaga, nomeadamente “Just Dance”, “Poker Face”, “Bad Romance”, “Judas”, “The Edge of Glory” e entre outras. A cantora fez 14 mudanças de vestuário , uma das quais em pleno palco. O cenário e decoração também mudaram consoante o vestuário de Gaga e 15 Árvores insufláveis nasceram no palco durante a música “Venus”.

Ao longo do concerto os fãs atiravam para o palco peluches, peças de roupa e até bandeiras, nomeadamente a portuguesa. Gaga pegou em algumas peças de roupa vestindo-as e pegou na bandeira portuguesa andando com ela por todo o palco, colocando-a também no microfone dizendo: “Lisboa, Lisboa, meus pequenos monstros, eu amo-vos”.

Houve um momento especial no concerto. Lady Gaga pegou numa carta escrita por uma fã e leu-a em público. Quando acabou de ler chamou a menina, chamada Laura, ao palco para cantar com ela no piano a música “Born this way”. Um outro momento “alto” da noite foi quando a artista disse que estava com sede e um dos fãs ofereceu-lhe uma cerveja e ela diz: “Super Bock, produto de Portugal” em português corretamente dito. O público ficou super entusiasmado batendo palmas.

ksfjlskdfhgdf

A artista cantou a música “Shot me down”, dedicando-a ao cantor norte-americano Tony Bennett, cantando-a em formato de ‘Jazz’, em honra ao álbum que ambos músicos criaram este ano, “Cheek to Cheek”.

“O espetáculo foi sem dúvida deslumbrante!”, “Hoje vi um dos melhores concertos da minha vida e quem julga que Gaga é só espetáculo, está redondamente enganado!” “Lady Gaga arrasou com a sua voz afinada e poderosa”, “Ela mereceu o meu «Applause» ”, eram estes os comentários dos fãs no fim do concerto.
A cantora norte-americana não deixou de parte o seu entusiasmo no final do concerto, partilhando com todos nas redes sociais que o ArtRave em Portugal foi maravilhoso e tirou-lhe o fôlego. “Eu gostava que tivessem visto o verdadeiro espetáculo, aquele que estava no público”, assegurou Lady Gaga.

Texto por Laura Pinheiro.

Lady Gaga surpreende em concerto no MEO Arena

Mesmo com uma plateia com as expetativas lá em cima, a mother monster conseguiu dar um espetáculo de deixar a todos com os olhos arregalados na noite da passada segunda-feira, 10, no MEO Arena, em Lisboa.

Com o início marcado para às 19h30, às 21h já estavam todos aflitos para a entrada de Lady Gaga. Dois músicos haviam aberto o concerto e o público começava a ficar inquieto com a falta da cantora no palco. Sendo uma das divas do pop mais aclamadas atualmente, eu estava à espera de um concerto que surpreendesse, assim como muitos nas arquibancas (que estavam praticamente lotadas) e na pista.

Dessa vez não houve vestido de carne, mas nessa digressão, intitulada Art Rave, Gaga transforma o que poderia ser um simples concerto em um espetáculo com arte a “brotar” do chão onde ela pisava. Em certa altura, flores gigantes saíram do palco, num cenário cheio de cores e de arte popular. Figurinos e coreografias ousados para uma cantora que tem atrevimento até o último fio de cabelo.

No início do concerto, algum fã que estava na pista jogou a bandeira de Portugal para a cantora, que logo tratou de amarrá-la no pedestal do microfone. Por aonde ela ia, em boa parte do evento, a bandeira ia junto com ela, a mostrar respeito e gratidão por um povo que tanto a admira. Mas não foi só isso que fez o concerto de Gaga ser um dos melhores que já vi. Em vários momentos diz para termos orgulho de quem somos, para não deixarmos nunca alguém tirar de nós o que nos torna especial. E com esses discursos de deixar qualquer um orgulhoso de quem é e de quem é a sua ídola, ela mostrou que ser famosa não é só aparecer perante às câmaras, é também cuidar e proteger aquilo faz dela tão especial: os fãs.

Quando Gaga parava e dava seus discursos motivadores, ela era quase soterrada com tanto presentes que os fãs arremessavam para cima dela. Uma dessas fãs teve mais sorte do que as outras duas que haviam jogado coletes (e que amama monster vestiu!). A cantora pegou uma carta arremessada para cima dela, caminhou em direção ao piano, sentou-se e começou a ler tudo o que aquela fã escreveu na expetativa quase ínfima de que a diva do pop realmente leria. Mas ela leu! E leu em voz alta. E chamou a fã, chamada Laura, ao palco para sentar ao lado dela. Como se toda essa surpresa não fosse o suficiente para encher os corações dos seguidores dela de esperança, ela canta “Born This Way” em homenagem à Laura e à todos os presentes que apoiam as causas homossexuais. Para deixar-me ainda mais chocada, Gaga leva a sua little monsterLaura para o camarim com ela em uma das suas trocas de roupa, deixando o público a desejar ser essa fã por esse único momento.

Um pouco depois das 23h, o concerto chega ao fim com uma plateia a querer mais. Além de ter cantado as faixas do álbum “ArtPop”, os sucessos de sua carreira também foram apresentados com o público a acompanhar cada letra de “Just Dance”, “Poker Face”, “Alejandro”, “Bad Romance”, “You and I” e um “Applause” cheio de aplausos vindo das arquibancadas e da pista, enchendo a todos de emoção e a transmitir uma vibração única em seu concerto.

Texto por Mayra Russo.