“Under Pressure” de Queen & David Bowie

Ninguém gosta de viver sob pressão… mas a música não é uma das melhores formas de sair da pressão que estejamos a sentir? O grande David Bowie e os enormes Queen em quase 4 minutos explicam-nos de como viver e sobreviver sob pressão. Uma música tão simples mas tão completa em beleza… também não se poderia esperar outra coisa de Bowie e Queen.

“It’s the terror of knowing
What this world is about
Watching some good friends
Screaming, “Let me out!”
Pray tomorrow (gets me higher, high, high)
Pressure on people, people on street”

Vamos agora falar um pouco da Bio da música:

“Under Pressure” (lançada em outubro de 1981) é uma música da banda britânica de rock Queen, juntamente com o cantor britânico de rock David Bowie. A música adquiriu o primeiro lugar na UK Singles Chart, tornando-se a segunda música de Queen a atingir o primeiro lugar nas tops britânicas (desde 1975, quando “Bohemian Rhapsody” liderou as tops durante nove semanas). O VH1 pôs a “Under Pressure” na 31ª posição das melhores músicas dos anos 80.

Texto por: Laura Pinheiro

“Endless Forms Most Beautiful” de Nightwish

maxresdefault

Nightwish, a grande, enorme, monstruosa banda finlandesa de metal sinfónicao regressou, e regressou em grande! “Endless Forms Most Beautiful” é o oitavo álbum de Nightwish, que será lançado no dia 27 de Março de 2015 na Europa, pela Nuclear Blast. Este álbum terá a estreia da nova vocalista da banda, a Floor Jansen, bem como Troy Donockley como membro oficial da banda. Disseram um pequeno ‘adeus’ ao baterista Jukka Nevalainen, que por motivos de saúde, teve que fazer uma pausa na sua vida musical. O álbum terá 11 músicas. Será um álbum nostálgico? Será um álbum em que os antigos Nightwish regressam? Será uma nova aposta? Bem, vamos ter que esperar para o dia 27 de Março e keep calm… forever nightwish!!! O primeiro single do álbum, “Élan”, foi lançado no dia 13 de fevereiro de 2015.

texto: Laura Pinheiro

GrammysAwards 2015, a maior e mais importante premiação da música

A 57ª edição do GrammyAwards aconteceu ontem, 8 de Fevereiro de 2015, em direto de Los Angeles. Orapper LL Cool J foi um dos apresentadores nesta grande cerimonia, que é considerada a maior e mais importante premiação da música no mundo.

page

Apresentadores 
Taylor Swift
MeghanTrainor
Nick Jonas
GwynethPaltrow
StevieWonder
DierksBentley
James Corden
MileyCyrus
JoshDuhamel
JamieFoxx
BarryGibb
Dave Grohl
Jennifer Hudson
AnnaKendrick
ShiaLaBeouf
KatharineMcPhee
Pentatonix
Smokey Robinson
NileRodgers
Gina Rodriguez
RyanSeacrest
Keith Urban
TheWeeknd
Enrique Iglesias

Performances
Madonna
Gwen Stefani
Adam Levine
Ariana Grande
Katy Perry
Sia
Lady Gaga e Tony Bennett
Rihanna
Paul McCartney
AC/DC
Eric Church
Beck
Chris Martin
Sam Smith
Mary J. Blige
Beyonce
Common
John Legend
Ed Sheeran
Herbie Hancock
John Mayer
Questlove
Juanes
Kanye West
Pharrell Williams
Usher
Miranda Lambert
Tom Jones
Jessie J
Hozier
Annie Lennox
Antes da cerimônia, foram revelados os vencedores nas categorias principais, vários dos 83 Grammys de 2015 foram anunciados. Beyoncé, Eminem, KendrickLamar e PharrellWIlliams começaram a festa com dois prêmios cada um. Veja lista abaixo dos vencedores:

Categorias pop:
Álbum Pop Vocal Tradicional – “Cheek to cheek”, Lady Gaga e Tony Bennett
Permormance Pop em duo ou grupo – “Saysomething”, Christina Aguilera e A Great BigWorld

Categorias rock:
Performance rock – “Lazaretto”, Jack White
Música de rock – “Ain’t it fun”, Paramore
Performance Metal – “The last in line” – Tenacious D
Álbumalternativo – “St. Vincent” – St. Vincent

Categorias dance:
Álbumeletrônico: “Syro” – Aphex Twin
Gravação dance – “Rather Be”, Clean Bandit e Jess Glynne

Categorias R&B:
Canção R&B – “Drunk in love”, Beyoncé e Jay Z
Álbumurbanocontemporâneo – “Girl”, Pharrell
Álbum R&B – “Love, Marriage & Divorce”, Tony Braxton e Kenny Edmonds

Categorias rap:
Disco de rap – “Marshall Matters LP2” – Eminem
Melhor colaboração de rap – “Themonster” – Eminem e Rihanna
Melhor música de rap – “I”, KendrickLamar
Melhor performance de rap – “I”, KendrickLamar

Categorias country:
Performance country solo: “Something in the water”, Carrie Underwood
Performance country em duo ougrupo: “Gentle on my mind” – The Band Perry
Música country: “I’m not gonna miss you”

Categoriasvisuais:
Clipe – “Happy” – Pharrell Williams
Filme musical – “20 feet from stardom”
Músicaescrita para mídia visual – “Let it go”
Trilhasonora – “Frozen Original Soundtrack”

Outros:
Álbum surroundsound – “Beyoncé”, Beyoncé
Remix não clássico – “Allof me” (por Tiesto, de John Legend)
Encarte – “Lightningbolt”, PearlJam
Arranjo instrumental ou a capella – “Daft Punk”, Pentatonix
Box ou edição especial – “Rise&FallOfParamount”, Jack White e mais
Melhor engenharia de som de álbum – “Morningphase” – Beck
Álbum de reggae – “Fly rasta”, ZiggyMarley
Álbum de worldmusic – “Eve” – AngeliqueKidjo
Álbum infantil – “I amMalala”
Produtor do ano, não clássico – Max Martin
Álbum de texto falado: “Diaryof a mad diva”, JoanRivers

Prêmios anunciados durante a cerimônia:

Álbum do Ano
“Beyoncé” – Beyoncé
“In The Lonely Hour” – Sam Smith
“x” – Ed Sheeran
“G I R L” – Pharrell Williams
“Morning Phase” – Beck

Gravação do Ano
“Fancy (Feat. Charli XCX)” – Iggy Azalea
“All About That Bass” – Meghan Trainor
“Chandelier” – Sia
“Stay With Me” (Darkchild Version) – Sam Smith
“Shake It Off” – Taylor Swift

Canção do ano
“Fancy” – IggyAzaleaFt. Charli XCX
“Chandelier” – Sia
“Stay With Me (Darkchild Version)” – Sam Smith
“Shake It Off” – Taylor Swift
“All About That Bass” – Meghan Trainor

Artistarevelação
Iggy Azalea
Bastille
Brandy Clark
Haim
Sam Smith

Performance solo pop
“All of Me” – John Legend
“Chandelier” – Sia
“Stay With Me” – Sam Smith
“Shake It Off” – Taylor Swift
“Happy” – Pharrell Williams

Álbum vocal pop
“x” – Ed Sheeran
“Ghost Stories” – Coldplay
“Bangerz” – Miley Cyrus
“Prism” – Katy Perry
“In The Lonely Hour” – Sam Smith
“My Everything” – Ariana Grande

Álbum de rap
“The New Classic” – Iggy Azalea
“Because The Internet” – Childish Gambino
“Nobody’s Smiling” – Common
“The Marshall Mathers LP2” – Eminem
“Oxymoron” – Schoolboy Q
“Blacc Hollywood” – Wiz Khalifa

Performance de R&B
“Drunk In Love (Feat. Jay Z)” – Beyoncé
“New Flame (Feat. Usher, Rick Ross)” – Chris Brown
“Good Kisser” – Usher
“The Worst” – JhenéAiko
“Options” – Luke James

Álbum country
“Riser” – Dierks Bentley
“The Outsiders” – Eric Church
“The Way I’m Livin’” – Lee Ann Womack
“12 Stories” – Brandy Clark
“Platinum” – Miranda Lambert

texto por Laura Pinheiro

Sibelius, Bach e Tchaikovsky numa só noite na Gulbenkian

Mais uma noite de grande música na Fundação Calouste Gulbenkian, ao receber nos passados dias 5 e 6 de Fevereiro o Maestro FrédéricChaslin e o violinista Frank Peter Zimmermann, para interpretarem peças extraordinárias, como o concerto para violino e orquestra de Sibelius e a Sinfonia nº 6 de Tchaikovsky.

FPZ_©_Harald_Hoffmann│hänssler_CLASSIC_(_C7Q1978)

Todos os violinistas que estiveram presentes na Gulbenkian nestes dois dias, provavelmente, sentiram um toque de ‘inveja’ ou de ‘desejo’ ao escutarem e terem observado a arte que Zimmermann ali fez ao executar na perfeição grandes obras para violino. O violinista demonstrava que o instrumento fazia parte do seu corpo e alma, e não como um objeto à parte do corpo do músico. O público levantou-se para aplaudir e assobiar este grande violinista, que após ter interpretado Sibelius, tocou a Partita nº3, prelude, de Bach com uma luz a iluminar somente este violinista. Um momento arrepiante numa noite fria de inverno.

Não é só este grande violinista alemão e maestro francês que merecem um majestoso aplauso, também a própria orquestra da Gulbenkian merece um grande aplauso. Possivelmente, a lua mexeu com os músicos e orquestras portuguesas, ou então levaram uma ‘chapada’ que neste novo ano, 2015, está a ser um ano de grande música. A orquestra Gulbenkian tocou muito bem a sinfonia nº 6 de Tchaikovsky – a sinfonia com uma forte carga dramática- e notava-se nas expressões e melodias dos músicos que estavam ali para dar tudo por tudo, ou, simplesmente, demonstrarem que em Portugal faz-se muita boa música e contém grandes intérpretes. De forma, a que os convidados – maestros e músicos- passam a palavra para os outros países que em Portugal há grande e boa arte. Mais uma ‘sublime’ noite na Gulbenkian.

Exemplos das peças interpretadas por Frank Zimmermann:

texto por Laura Pinheiro

“She’s Madonna” – Robbie Williams e Pet Shop Boys

“She’s Madonna” é a quinta música do álbum “Rudebox” do cantor britânico Robbie Williams. A música tem colaboração com a dupla com maior sucesso na história do Pop Inglês, PetShop Boys.
“She’s Madonna” foi criada com o objetivo de Robbie Williams declarar o seu amor por Madonna e foi lançada a 5 de março de 2007.
Duas estrelas do Pop juntas a formar uma música dedicada à Rainha do Pop, só poderia ter um resultado TOP!
Provavelmente, uma das melhores músicas de Robbie Williams.

“I love you baby
but face it she’s Madonna
No man on earth
could say that he don’t want her
This look of love
says I’m leaving”

texto por Laura Pinheiro

O romantismo de Bruckner e da OSM abriu ‘alas’ ao mês de Fevereiro

DSC1

O mês mais romântico do ano, Fevereiro, não poderia começar da melhor forma: no Centro Cultural de Belém, com uma sinfonia de um compositor romântico, com a Orquestra Sinfónica Metropolitana, com um grande maestro, Emilio Pomàrico, e com “uma obra monumental, irrepreensivelmente sólida do ponto de vista técnico e carregada de poder expressivo”.

DSC2

O poder expressivo da Sinfonia nº 8 de Bruckner levou a Orquestra Sinfónica Metropolitana a “arrancar” lágrimas do público no passado dia 1 de Fevereiro no Centro Cultural de Belém. A OSM (Orquestra Sinfónica Metropolitana) foi muito elogiada, tendo sido referido que a Orquestra já não tocava assim há algum tempo, e que foi preciso um Maestro como Emilio Pomàrico para “arrancar” a verdadeira orquestra que ela é e tocar da maneira que tocou: muito bem.

A orquestra tocou a Sinfonia na sua plenitude, ou seja, foram tocados os 4 andamentos que compõem a Sinfonia nº8 de Bruckner. Neste concerto não se viu o lado mais ‘ selvagem’ de Bruckner, mas sim o lado mais romântico e mais ‘suave’ do compositor, pois o maestro dominava a batuta que toda a orquestra não resistia em seguir e deixar-se fluir com os instrumentos e a música surgiu, criando sensações de arrepios no público. Mal que o maestro baixa a batuta e os músicos levantam os arcos, o público gritou “bravo”, estando todos de pé aplaudindo com imensa força, assobiando sem parar e muitos com os dedos a passar pelo canto inferior dos olhos para limpar as lágrimas de emoção.
Um momento musical que levou músicos, maestro e público a sentirem momentos únicos de nostalgia que esta sinfonia, maestro e orquestra proporcionaram.

DSC3

DSC4

DSC5

Fotos de: Ricardo Gomes e Tiago Martinho

texto por Laura Pinheiro

Beyoncé – Beyoncé

“Beyoncé” é o quinto álbum da artista Beyoncé, lançado em dezembro de 2013, através da ParkwoodEntertainment e Columbia Records.

Beyoncé_-_Beyoncé.svg

Foi lançado sem qualquer tipo de anúncio e foi uma grande surpresa para o público e fãs. Foi disponibilizado para compra no iTunes e pelo excelente impacto de downloads pagos, estreou em primeiro lugar na Billboard 200 e foi número 1 em mais de 100 países, dando a Beyoncé recordes que nunca foram quebrados por nenhum artista na história da música. O mesmo álbum entrou no Guinness Book e em 2014 a revista Time colocou Beyoncé no número 17 como a pessoa mais ‘poderosa’ do mundo, como também, a revista Forbes elegeu Beyoncé como uma das cantoras mais ‘dominadoras’ do mundo. Em 2015, Beyoncé foi escolhida pela revista Billboard como a melhor artista dos primeiros 5 anos da década, e foi eleita também pela revista Rolling Stone como a artista que mais vendeu música nos últimos 10 anos. Um álbum que abalou com a Pop e que serviu de exemplo para o mundo. Com tudo isto, Beyoncé merece um grande “Applause” por todos os artistas e por todos nós.

texto por Laura Pinheiro

Qual é a vossa música preferida dos “The Beatles” e porquê?

yellow-submarine_2174421b

“All together now”, claro!!!! Primeiro, é cantada pelos “The Beatles”. Segundo, foi composta por Paul McCartney para o álbum “Yellow Submarine”, de The Beatles. Paul tentou fazer com que esta música ficasse animada com a sua voz a solo, porém, The Beatles ‘arrasaram’.

E não é que ficou mesmo animada? Só a letra é super animada e transmite uma alegria enorme para qualquer pessoa.

“One, two, three, four,
Can I have a little more,
Five, six, seven, eight, nine, ten,
I love you.
A, B, C, D,
Can I bring my friend to tea,
E, F, G, H, I, J,
I love you.
Bom bom bom bom-pa bom
Sail the ship bom-pa bom
Chop the tree bom-pa bom
Skip the rope bom-pa bom
Look at me.
All together now, all together now (…)”

É uma música que tem inúmeras versões, e todas elas muito animadas, cheias de alegria, muitos sorrisos, duos incríveis, flash mobs fantásticos, que nenhuma outra música consegue ser tão rica e ‘desdobrável’ como esta. Até existem músicas parecidas!!!

Só podia vir mesmo dos “The Beatles”, o rock deles é inigualável, tão puro que “rockou” com o mundo, que este nunca mais foi o mesmo.

Texto por Laura Pinheiro

Evanescence- “Fallen”

evanescence-fallen

Anteriormente, no meu texto de “B.I” referi que não tenho artista, nem banda, nem álbum favorito, todos são de grande importância para mim, todos atingiram-me de um certo modo, diferente ou não, atingiram – como se diz na minha terra: entrou, ficou, marcou e não quis sair. No entanto, e claro, existe sempre aqueles álbuns que marcaram uma data ou uma época especial na nossa vida e a época que vou aqui relatar é a minha idade inocente, os meus 11 anos. Estava ansiosa para comprar novos álbuns e esperei pela minha 2ª comunhão para receber dinheiro – preferia dinheiro do que ofertas – e logo no dia a seguir, sem pensar duas vezes, comprei o “Folklore” de Nelly Furtado e o “Fallen” de Evanescence. Todavia, o álbum “Fallen” era a taça de ouro para mim. Desde de miúda que sou apaixonada pelo metal e rock e de repente vejo na MTV um videoclip de uma nova banda de metal super “rock”, e pronto fiquei apaixonada. “Fallen” é o álbum de estreia de Evanescence e foi lançado em 4 de março de 2003. É o álbum mais bem-sucedido da banda, com mais de sete milhões de cópias nos Estados Unidos, e mais de 17 milhões em todo o mundo.

“Going Under”, “Bring me to life”, “ My Immortal” e “ Everybody’s Fool” foram e são as músicas que marcaram a carreira desta banda e do álbum de estreia. São músicas que abalaram o mundo e os rockeiros/metaleiros da terra, e claro que fui uma dessas

“vítimas”. Se mudou a minha vida? Mudou! Mudou a minha maneira de ver a música? Mudou! Fez-me quebrar as regras?! Claro que sim. É isso que a música deve ser: abalar o mundo e deixar um sinal histórico neste mundo cheio de imperfeições, pois a música é a arte perfeita dos deuses. Evanescence, foram os meus deuses.

Texto por: Laura Pinheiro

Pet Shop Boys – “Integral”

 

“One world
One life
One chance
One reason”

Assim é uma parte da letra da música que escolhi hoje para “Música do Dia”.

“Integral” de Pet Shop Boys…. Quem não conhece esta música devia, obrigatoriamente, conhecê-la! Para já, tem várias versões (desde de vídeo e som) o que a torna acessível aos vários ouvidos e gostos mas ao mesmo tempo única. A letra é espetacular, tendo como prepósito de transmitir uma mensagem muito concreta e objetiva para as pessoas do mundo e para o mesmo.

Pet Shop Boys são a dupla com maior sucesso na história do Pop Inglês, com 36 músicas no top 20, 22 músicas no Top 10 e 11 álbuns top 10 na Inglaterra, atingindo vendas superiores a 100 milhões de discos no mundo inteiro. Em dezembro de 2006, o Pet Shop Boys foi indicado a 2 Grammy Awards por Best Dance Recording (I’m With Stupid) e Best Electronic/Dance Album(Fundamental - EMI).
Só por isto, o dia de hoje é dedicadíssimo a eles e à “Integral”.

 

Texto por: Laura Pinheiro