Concertos Arena Live no Casino de Lisboa

arena

O casino de Lisboa inaugurou dia 3 de Novembro o início de mais um ciclo de “Concertos Arena live”. Este evento conta com 8 artistas musicais portugueses, com diferentes géneros musicais presentes. Todos os concertos são às segundas-feiras a partir das 22h30, exceto o último que se realizará na passagem de ano.

Dia 3 de Novembro foi dia dos The  Gift  iniciarem este ciclo musical. “Primavera” é o quinto álbum de estúdio da banda pop-rock português, gravado no final de 2011 durante dez dias no Centro Cultural de Belém e lançado a 9 de Janeiro de 2012. Passado menos de um ano desde o lançamento do álbum anterior “Explode”.

Dia 10 de Novembro é a vez de David Fonseca entrar em palco. O cantor e compositor mediático português é reconhecido pela sua grande carreira musical no grupo “Silence 4” e desde 2003 como artista a solo. O seu último álbum foi lançado também em 2012, chamando-se “ Seasons – Rising: Falling”.

A 17 de Novembro entra em palco António Zambujo , o cantor alentejano fadista lançou o seu último álbum em 2012 chamado “Quinto” que como o nome indica foi o seu CD n°5. Desde pequeno apaixonou-se e habituou-se a ouvir as melhores vozes do fado como Amália Rodrigues, Maria Teresa de Noronha, Alfredo Marceneiro, entre muitos outros ganhando um concurso de fado inclusive aos 16 anos de idade.

São Os Azeitonas que chegam ao Arena Lounge a 24 de Novembro. A banda portuguesa oriunda do Porto apresenta um género musical entre o rock alternativo e a música popular e foi formada em 2002. Ficou principalmente conhecida pelos êxitos de “Quem és tu miúda” e “Anda comigo ver os aviões”. Foi nomeada pela MTV Europe Music Awards com dois prémios como Best Portuguese Act.

Segue-se dia 1 de Dezembro a pisar o palco Aline Frazão. A cantora e compositora angolana já lançou dois álbuns , sendo o último titulado de “Movimento”. Com influências do Brasil e da Bossa Nova, Aline é uma cantora que já atuou em diversas cidades emblemáticas internacionais sendo elas Paris, Dublin, Luanda, Londres entre outras, que lhe proporcionaram uma grande experiência no mundo da música.

Deolinda, grupo de música popular portuguesa bastante conhecida pelas suas músicas inspiradas no fado e pelas origens do nosso país atuam no Arena Lounge no dia 8 de Dezembro. Com o seu último álbum lançado em 2013 chamado “Mundo Pequenino”, Deolinda contou neste novo CD com um prestigiado produtor e engenheiro de som chamado Jerry Boys, produtor esse que já trabalhou com excelentes bandas prestigiadas como os The Beatles, Pink Floyd ou The Rolling Stones e outros mais.

Mudando para um estilo bastante inovador onde se junta a música eletrónica e o kuduro entram em palco Buraka Som Sistema. Com o seu último álbum lançado neste ano a banda encontra-se desde Junho em digressão pela Europa demonstrando principalmente as faixas do “Buraka”. Buraka Som Sistema é uma banda bastante inovadora, sendo muitas vezes apelidada de ter criado um novo som eletrónico chamado kuduro progressivo. Já foram condecorados com vários prémios , destacando-se o prémio de Grupo do Ano, tendo sido oferecido nos Globos de Ouro pela SIC.

Quase no término deste ciclo de concertos é a vez de Mafalda Veiga entrar em ação no casino de Lisboa já na época natalícia, mais propriamente dia 22 de Dezembro. A cantora portuguesa já lançou dez álbuns , sendo o primeiro chamado “ Pássaros do Sul” lançado em 1987, e o último, “Zoom” que tem como single  “Fim do dia”. Este álbum de Mafalda Veiga contou com a participação de outros artistas portugueses como: J-Wow-que pertence à banda Buraka Som Sistema- João Barbosa e Filipe Raposo. Mafalda Veiga já conta com inúmeros prémios, destacando-se alguns como as várias nomeações para o prémio “Zeca Afonso”,  e ter ganho o melhor Cd nomeado pela Antena 1.

Ricardo Ventura da Costa, mais conhecido como Richie Campbell é o último artista português a pisar o palco Arena Lounge que promete terminar em grande. O cantor de dancehall e com origens na sua música no reggae atuará no dia de passagem de ano.  Lançou o seu primeiro álbum em 2010 apelidado de “My Path” e o segundo e último até agora: “Focused” em 2012. A acompanhar Richie Campbell, vem a sua banda: 911 Band, banda essa que já foi chamada como a melhor “Backing Band” a atuar em Portugal de Reggae e que contém elementos que já atuaram em bandas como Kussondulola e One Love Family.

Terminado o ano de 2014, termina também o ciclo de concertos no Casino de Lisboa, na Arena Lounge. Com tanta diversidade de música portuguesa de estes oito artistas, será, sem dúvida uma grande experiência com grandes espetáculos.

Abaixo o cartaz completo:

arenalive2

Texto por David Ramos.

Anúncios

Músico(s)/banda(s) portuguesas que mais vos têm marcado

Falando de música portuguesa, o que desde sempre acompanhei mais foi o hip-hop e o nascimento do reggae aos poucos e poucos. Cresci a ouvir artistas portugueses sempre com as influências dos meus pais e desde cedo decorei musicas de prestigiados cantores e bandas como Rui Veloso, Xutos e Pontapés e Sérgio Godinho, passando também claro pelo nosso património nacional: o fado, onde escutei artistas e bandas como Carlos do Carmo, Madredeus e também Paulo de Carvalho. Com o avançar da idade fui-me aproximando do hip-hop português, pois sempre achei que é um estilo ou um dos estilos que mais representa o nosso país, e que mais o caracteriza demonstrando o dia-a-dia da sociedade e as nossas raízes, acompanhado sempre pelo fado. Falando nesses dois géneros musicais gosto particularmente quando se cruzam. Em especifico falo de uma música onde gostei imenso da dupla:Boss Ac- Mariza com a musica: “Alguém me ouviu (Mantem-te firme)”.

No mundo do hip-hop português foi Boss AC quem comecei a acompanhar desde o inicio, devido a sua lírica e ao “flow”. Com o avançar do tempo fui-me interessando e querendo explorar outros artistas como Sam The Kid, Valete, destacando-se Allen Halloween como meu preferido no hip-hop português. Na área de eletrónica destaco Buraka Som Sistema e Batida como as minhas bandas de eleição sobretudo devido as suas origens africanas e ao seu ritmo que me deixa inquietante. Na área do Reggae destaco a milhas como gosto pessoal Fredy Locks, para mim um cantor com boas vibrações e uma melodia intensa dos instrumentos de sopro, e da grande vivência na sua viola que o acompanha sempre nas suas musicas. Destaco também a banda Kussondulola, pioneiros no Reggae em Portugal , são bastante entusiásticos nos concertos, colocam o publico numa atmosfera muito positiva e exuberante.

Falando de “jovens em ascensão” na música portuguesa quem acompanho neste momento com mais afinco é um cantor chamado Dillaz, faz hip-hop, vem da chamada nova era do hip-hop: a “nova escola”. Nasceu na Madorna, o seu Rap tanto nas letras como nos beats são excelentes, especialmente a forma como ele “brinca” com as palavras nas suas musicas dando uma vivacidade tremenda as suas canções, com grande liricismo nas mesmas. Aconselho vivamente a quem goste de hip-hop português a dar uma olhadela a este artista.

texto por David Ramos

Allen Halloween – ” Não Há Luz No Meu Quarto “

Para musica do dia escolho Allen Halloween com o tema “Não há luz no meu quarto”, tema esse que pertence ao seu álbum Arvore Kriminal. Para mim Halloween apresenta-se como dos melhores rappers da atualidade, o seu rap é profundamente o mais negro possível nas suas letras e muitas vezes na sonoridade das canções. Fala-se de um novo estilo de hip-hop apresentado por Halloween. Sem “papas na língua” e o mais direto possível, as letras que apresenta são bastante obscuras e cruéis, o mais “underground” possível, mas sempre com uma grande sonoridade intensa, com “beats” imagináveis.

texto por David Ramos

David Ramos

Desde pequeno a música surge como uma grande influência no meu crescimento e em várias etapas por que passei e alcancei muito. Com o avançar do tempo tornou-se uma companhia constante na minha rotina e dia-a-dia. Os álbuns que mais me marcaram e fascinaram ao longo destes vinte anos são imensos, passando por algumas culturas e géneros. Realçando alguns, diria Árvore Kriminal, de Halloween, Hebron Gate dos Groundation e Jungle by Night onde o CD tem o mesmo nome da banda. A minha área de interesse maioritariamente recai sobre géneros com origens Africanas e Americanas, porém quero globalizar o meu conhecimento musical. Vontade e interesse não falta nesta grande obra de arte, que é, a música.

texto por David Ramos