Scott Matthew bipolar no Cinema São Jorge

Scott Matthew bipolar no Cinema São Jorge

“I’m so happy to be here”. Depois de “Effigy”, primeira canção do alinhamento, Scott Matthew troca a escuridão das suas composições pela alegria, algo que vai ser frequente nas pausas deste concerto.

Portugal é um sítio importante para a carreira do cantor e ele faz questão de nos ir relembrando disso. O australiano diz-nos que o seu novo álbum, This Here Defeat, responsável por ocupar grande parte do alinhamento, foi gravado em Lisboa. Rodrigo Leão, com quem colaborou, tem direito a algumas palavras de apreço e é mais uma ponte que se faz entre Scott Matthew e Portugal.

O músico tem nas suas canções uma maneira de expurgar todos os seus demónios. “Ode” é apresentada como uma homenagem ao seu falecido avô e é um dos momentos mais emocionais da noite. Os músicos que o acompanham são exemplares a servir a voz rouca do australiano e fazem com que as músicas ganhem outra aura. O ambiente em volta das canções é sempre de cortar a respiração e o artista conta-nos que o novo álbum esteve para nem acontecer devido à repetição da temática: o fim de uma relação.

Um dos momentos estranhos, como diz o próprio, é “Bittersweet”, a única canção alegre dum longo reportório. O seu sentido de humor é bastante aguçado e atira-nos para uma espécie de bipolaridade emocional que nos acompanha durante todo o concerto. Essas mudanças de humor só têm paralelo nas covers tocadas. A primeira é “I Wanna Dance With Somebody”, original de Whitney Houston. Saltamos para “Anarchy in the U.K”, célebre canção dos Sex Pistols. As transformações que faz nas músicas são tantas que nos faz acreditar que o material, que é tão diferente entre si, é todo composto por ele.

O amor é o assunto que atravessa toda a sua discografia. Bem, é mais o desamor. Fala de como já teve o coração partido – várias vezes – e diz que espera que seja esta a noite em que possa encontrar o amor. As reacções são positivas e ouve-se um “We love you, Scott”. É curioso que o público, que não encheu o Cinema São Jorge, seja composto por vários casais, já que a sua música é maioritariamente composta por letras sobre corações partidos.

O concerto chega ao fim e as palmas ecoam durante alguns minutos. O músico australiano volta só com o guitarrista e traz-nos mais uma cover, “Into My Arms”, escrita por Nick Cave. Mais uma despedida e o São Jorge tem um público de pé à espera de mais. Scott Matthew volta sozinho para uma despedida emocionada. Lisboa deixa marcas no artista e o contrário também parece ser verdade.

Texto por:Alexandre Ribeiro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s