Qual o próximo género musical que vai “explodir” internacionalmente?

Olhando para o panorama musical dos últimos anos, as movimentações estilísticas mais significativas têm sido ao nível da música de dança: a explosão da denominada vaga EDM, termo utilizado para definir a crescente diluição do dubstep, electro house, trap e afins na esfera pop, ou até mesmo os avanços feitos ao nível do garage, drum and bass, grime, 2-step e bass music na cena britânica e pelos quais nomes como Disclosure, AlunaGeorge, Dizzee Rascal, SBTRKT ou Burial são responsáveis.

Uma vez que me cativam muito mais os ventos que chegam de Inglaterra, passo a destacar alguns dos artistas que contribuíram para esse renovado fôlego da música de dança:

Katy B- “Katy on a Mission” (2010)

As senhoras primeiro. Kathleen Brien é a voz feminina a erguer-se da nova movida londrina dominada por homens. “Katy on a Mission” foi o memorável single de apresentação de On a Mission, a estreia de 2011 – autêntico caldeirão de especiarias electrónicas – e um dos primeiros esforços comercialmente bem-sucedidos do género. Can you hear the sub go boo-ooo-om?

Chase and Status- “Time” (2011)

Saul Milton e Will Kennard formam a mais afamada dupla britânica de drum and bass, que conheceu um pico de popularidade ao segundo álbum, No More Idols (2011), morada de “Time”, portento breakbeat com a subtileza vocal de Delilah, um prodígio que despontou em anos recentes num reduto onde a soul, o trip hop e a electrónica se cruzam. Menção honrosa para o vídeo que desperta consciências para uma realidade bem cruel.

Rudimental- “Baby” (2013)

Também o colectivo de Hackney teve a sua quota parte de aclamação da crítica e mediatismo com a sólida estreia, Home, editada há cerca de 2 anos. “Baby” é um bombom deep house via 90’s combinado com ornamentos soul da autoria de MNEK, jovem britânico de 20 anos que editará o seu primeiro EP no final deste mês. Já ela, Sinead Harnett, rouba corações.

Tourist- “Wait” (2014)

Termino com uma aposta pessoal para 2015, ainda em terras de sua majestade – trata-se de Tourist, ‘alias’ de William Phillips, promessa do future garage com provas já dadas em 3 EPs: o homónimo de 2012, Tonight (2013) e Patterns (2014). “Wait” abre caminho para o longa-duração de estreia esperado ainda este ano, sob a chancela da Method Records, editora fundada pelos Disclosure.

Texto por Gonçalo Dias

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s